Deixou a prisão por um dia para ser testemunha de Jeová

Deixou a prisão por um dia para ser testemunha de Jeová

thumbs.sapo.jpg
Ontem, 37 pessoas foram mergulhadas numa piscina, um momento que marca o baptismo das testemunhas de Jeová

Liliana Costa, Fernando Oliveira

enrique Basto, 48 anos, recluso do estabelecimento prisional de Matosinhos, agarrou-se à bíblia para deixar a droga e aproveitou uma saída precária para ser baptizado, durante o Congresso Distrital das Testemunhas de Jeová, que termina hoje no Multiusos de Guimarães.

A organização estima que o número de participantes supere, hoje, os 4500, oriundos de praticamente todos os concelhos do Minho, para participar nos trabalhos que decorrem sob o tema “Aproxima-se o Livramento!”.

Ontem, três dezenas de pessoas deixaram-se mergulhar na hora do baptismo, momento que é vivido com grande solenidade e emoção. “É como morrer e nascer de novo”, atira um cidadão brasileiro. Outro voluntário é um presidiário que diz ter encontrado no estudo da bíblia, iniciado há três anos, a saída para uma vida livre da toxicodependência, vício que o conduziu à prisão. Henrique Basto passou a viver a religiosidade de forma intensa e decidiu entregar-se de corpo inteiro às testemunhas de Jeová, após contactos estabelecidos no interior da prisão.

Já cumpriu os primeiros seis anos de uma pena de 14 que lhe foi aplicada por crimes associados à droga. Filho de uma família católica, foi durante o cumprimento da pena de prisão que se agarrou à bíblia para preencher o vazio que sentia. “Senti um chamamento. Quando vim a mim, percebi que estive no inferno”, descreve, relatando que resolveu de modo próprio estudar a bíblia “Depois fui ao encontro de um colega testemunha da Jeová”.

Henrique Basto diz-se reabilitado, não obstante revelar ainda dificuldades de integração. “Pensei muito sobre a minha vinda ao congresso. Tinha receio de enfrentar as pessoas”, confessou. Em Gondomar, de onde é natural, família e amigos, católicos, aceitam a decisão de Henrique Basto e transmitem-lhe confiança “Eles sabem o que eu era e o que sou. À minha mãe, só lhe interessa o facto de estar muito melhor e de ter deixado aquela vida”.

O Congresso Distrital das Testemunhas de Jeová estendeu-se por dois fins-de-semana com discursos, encenações e simpósios. Um evento que encerra alguma complexidade logística pelo número de participantes que habitualmente reúne.

fuente-link

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *