Testemunhas de Jeová reúnem congresso no Funchal

Testemunhas de Jeová reúnem congresso no Funchal

Mais de mil e cem pessoas com ar alegre e bem disposto encheram sexta-feira a bancada central do Estádio dos Barreiros, no Funchal, para assistirem a um dos catorze congressos que as Testemunhas de Jeová organizaram este Verão em Portugal.

«Aproxima-se o Livramento» é o tema desta reunião, que decorre na capital madeirense até domingo.

A atenção aos discursos, desde as crianças aos idosos, o barulho do folhear das bíblias individuais à medida que os participantes procuram os trechos citados pelos vários oradores, bem como tomar apontamentos em blocos sobre o que é dito têm sido uma constante durante o programa desta concentração religiosa.

António Pestana, porta-voz do congresso, explicou à agência Lusa que as testemunhas de Jeová acreditam que em breve os governos mundiais serão substituídos por um único reino, de origem divina, que resolverá todos os problemas da humanidade, incluindo a doença e a morte.

«Esta esperança não é um mero sonho, mas uma realidade lógica e profundamente sustentada nas promessas e profecias contidas na Bíblia, até porque têm origem no único ser existente no Universo que não pode mentir, o único Deus Todo-Poderoso, o Criador de todo o Universo, cujo nome é Jeová», confia António Pestana.

A nível mundial, a organização religiosa das Testemunhas de Jeová, cuja actividade está proscrita em alguns países, conta presentemente com cerca de 6,5 milhões de membros activos, espalhados em mais de 235 países, que se reúnem regularmente em cerca de 98 mil grupos (congregações).

Em Portugal, as Testemunhas de Jeová têm cerca de 48 mil elementos, dos quais 1.200 residentes na Madeira e no Porto Santo.

António Pestana salientou que hoje na primeira sessão do congresso, apesar de «ser sexta-feira e dia de trabalho», a assistência (1.142 pessoas) correspondeu às expectativas e manifestou a esperança de «bater o recorde» no domingo, com 1.800 a 2.000 participantes, uma vez que distribuíram 65 mil convites em toda a Região.

Sobre o programa, composto por discursos, simpósios, entrevistas e até uma encenação bíblica (no domingo) com trajes da época, o mesmo responsável disse que o congresso visa também «dar instruções bíblicas sobre como as pessoas podem tirar proveito do resgate provido pelo sacrifício de Jesus, que não deu a vida pelos humanos em vão, mas com um objectivo específico».

«Desde já podemos tirar proveito e ter benefícios práticos por fazer as coisas como a Bíblia ensina, designadamente por aplicar os conselhos sobre moral e padrões de vida que resultam de forma comprovada em melhor saúde, famílias unidas e mais felizes», incentivou.

Sábado terá lugar a cerimónia do baptismo (imersão total em água) de 30 novos membros, com idades compreendidas entre os 14 e os 85 anos, um acto que obriga por vezes a alguns arranjos especiais para corresponder a necessidades específicas dos candidatos, como é o caso de alguns portadores de deficiências.

O discurso principal está agendado para a tarde de domingo, subordinado ao tema «Aproxima-se o Livramento pelo Reino de Deus».

Para acolher os congressistas, a organização fez arranjos especiais, colocando na bancada central do Estádio dos Barreiros uma cobertura de ráfia para proteger os participantes da exposição solar, montou uma piscina para os baptismos e procedeu a uma operação de limpeza no recinto, tudo efectuado por equipas de voluntários.

António Pestana classificou as Testemunhas de Jeová como «pessoas comuns, perfeitamente inseridas na sociedade».

«São vizinhos, amigos ou colegas de trabalho. O que os distingue dos demais é o seu apego à Bíblia como guia diário, a obra de evangelização que realizam, os altos padrões morais que observam, a postura de neutralidade política que adoptam em todas as circunstâncias e o facto de se esforçarem por ser cumpridores da lei e pessoas pacíficas», referiu.

A organização das Testemunhas de Jeová «é também a demonstração evidente de que, com a aplicação dos princípios bíblicos, é possível reunir os seres humanos numa grande fraternidade mundial, independentemente da raça, idade, extracto social e nacionalidade», salientou.

Os que se querem tornar Testemunhas de Jeová, têm primeiro de «contactar com as verdades bíblicas, de forma informal ou através da pregação (nas ruas ou de porta em porta), e aceitar integrar um curso gratuito para analisar os princípios básicos contidos na Bíblia que muitas vezes contrariam as doutrinas que apoiavam anteriormente», explicou António Pestana.

«Aqueles que aceitam estes novos ensinamentos são motivados a aplicar o conhecimento obtido nas suas vidas. Por decisão pessoal decidem baptizar-se, um acto que não é mais do que a demonstração pública de que a pessoa conscientemente decidiu dedicar a sua vida a fazer a vontade de Deus», realçou.

Na Madeira e Porto Santo, os cerca de 1.200 testemunhas de Jeová reúnem-se habitualmente em 18 congregações – sete no Funchal e as restantes espalhadas pela Região (Calheta, Ribeira Brava, Caniço, Gaula, Porto Santo, Caniçal, Machico, Câmara de Lobos, Santana, Camacha e S.Vicente.

fuente-link

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *